4 min de leitura

Quando falamos de indicadores é fácil se perder. Na era dos dados em que vivemos, é natural que a quantidade acabe atrapalhando a qualidade dos dados.

Mas, como empreendedor, você precisa medir. Quem mede, controla. Quem controla, gerencia. E quem gerencia tem domínio do seu negócio. E por isso vamos focar aqui em alguns indicadores essenciais que você precisa medir.

Vamos aos 5 indicadores essenciais que você precisa medir na sua empresa:

1. Receita total no mês

Quem não vende vai falir. Esse é um fato. Eu aprendi a me apaixonar por vendas e todos os seus processos.

Isso envolve medir tudo referente a entrada de caixa, novas vendas e principalmente, receita total.

Se você não sabe exatamente, a nível de centavos, quanto dinheiro está realmente entrando no caixa, você corre grande risco de falir.

Portanto, controle a receita total no mês e desdobra ou cascateie esse indicador principal em outros secundários que o alimente. Por exemplo: novas vendas e ticket médio.

2. Índice de Produtividade

Para ter uma empresa competitiva, você precisa ser mais produtivo que os concorrentes ou a média das outras empresas do seu setor.

Eu vejo muitas empresas que não possuem um indicador de produtividade e isso me dá coceiras. Não tem como saber se você está indo no caminho certo se não sabe o quão produtivo é.

A melhor forma de medir a produtividade é fazendo com que ela seja o produto entre a taxa de ocupação de tempo dos funcionários e a eficiência com relação ao programado.

Em outras palavras:

Produtividade = Ocupação x Eficiência

3. Índice de Qualidade

Outro indicador fundamental se você quer ter uma empresa de sucesso. E esse é um dos que percebo maior dificuldade dos empreendedores e empresários medir.

Os indicadores de qualidade determinam o quanto o seu produto ou serviço se destacam no mercado. Para produto é um pouco mais fácil de definir o Padrão de Qualidade. Mas, isso também é possível para serviços.

Aqui na Marfin LAB, temos o que chamamos de Roadmaps de Entregas. É uma planilha com todas as tarefas-padrão e 4 colunas, de 1 a 4.

Onde “4” é o nível de excelência de entrega da tarefa e “1” é o inaceitável. Assim, fazemos mensalmente uma auditoria por amostragem em todas as tarefas entregues.

No final, temos uma soma e uma média das notas de qualidade que as entregas tiveram.

4. Índice de Satisfação do Cliente

Fundamental medir esse indicador nos dias atuais. Com o mercado (principalmente o digital) cada vez mais exigente e com o consumidor no poder, quem não controla seu índice de satisfação pode estar em maus lençóis.

Com o crescimento cada vez maior de áreas como Customer Success e indicadores como Net Promoter Score, empresas de todo mundo estão se destacando na proatividade em satisfazer seus clientes.

Portanto, encontre uma maneira de medir o quão satisfeito seu cliente está. Então, trabalhe em um plano de ação para mitigar falhas que possam ser apontadas.

5. Índice de Entrega

Bastante atrelado item 2 que falamos acima. Mas, além de produtivo, você precisa entregar o que foi combinado com seus clientes.

Muitas vezes, esse indicador acaba sendo secundário e alimentando o indicador de eficiência. Porém, eu tenho outra proposta para os indicadores de entrega.

Entrega tem relação a efetivamente ao que o cliente comprou e o que foi realmente entregue até o final do mês.

Eficiência tem relação ao tempo utilizado. Ou seja, quanto do tempo que estava programado para realizar determinada atividade eu utilizei.

Sendo assim, eu posso ser eficiente no uso do tempo, mas se eu não entregar o que foi prometido, nada adianta.

Saiba exatamente o volume que foi prometido para entregar e controle de perto se realmente foi entregue.

6. [Bônus] Índice de Retrabalho

O retrabalho pode te matar. Não poderia ficar sem falar desse indicador. Portanto, faça todo o possível para saber qual a taxa de retrabalho das suas entregas.

Quando falamos de retrabalho, estamos falando de um vírus que consome toda sua margem de lucro por falhas operacionais ou, principalmente, falha no processo.

Logo, cuida do índice de retrabalho para que possa lapidar cada vez mais seus processos.

O retrabalho pode ser calculado como: volume de entregas aceitas x volume de entregas não aceitas (e que precisam ser retrabalhadas).

Outra forma de calcular é com o tempo gasto. Quantas tarefas do total realizado no mês forma tarefas programadas? E quantas foram gastas em retrabalho?

Essa comparação poderá te ajudar a ir muito mais longe.

Faltou algum indicador? O que você recomendaria? Comente abaixo para dividir com outros empreendedores.


Alguns artigos que você pode gostar: