3 estratégias de branding para aplicar no marketing da sua empresa

Helena Vilarinho
Helena Vilarinho
Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Brasília, tenho mais de 10 anos de experiência com Marketing de Conteúdo. Neste período, tive a oportunidade de ajudar clientes dos mais diversos segmentos a encontrarem seu tom de voz e a estabelecerem uma estratégia que os aproximasse de seus objetivos.

Definir boas estratégias de branding é o primeiro passo para o posicionamento da sua marca no mercado. Nike, Tesla e Apple não são os ícones em que se tornaram por acaso. Foi a partir do branding que estes gigantes estabeleceram uma identidade para se comunicar com o seu cliente ideal, agregando diferencial competitivo e gerando negócios estratosféricos.

No entanto, muitos gestores ainda não entendem bem do que se trata o branding e nem como aplicá-lo para aprimorar os resultados de seus negócios. E mais: para alguns, o termo branding parece restrito ao Panteão de grandes marcas como as que mencionei no começo do artigo. Mas isso não é verdade. Se você deseja que a sua marca se destaque e seja bem-sucedida no mercado, trabalhar seu branding é indispensável.

E se você não sabe nem por onde começar, não se preocupe. Aqui você vai conhecer 3 estratégias de branding para aplicar no marketing do seu negócio. Vamos lá?

O que é branding?

Antes de tudo, você precisa compreender o conceito de branding. Muita gente pensa que ele se resume à identidade visual de uma empresa, mas não é este o caso. 

O branding é o conjunto de elementos que conferem identidade à sua marca, gerando uma determinada percepção no público. Tudo o que a sua empresa faz tem a ver com branding, uma vez que contribui para a forma como o público vê o seu negócio. Assim, o branding é um importante recurso na criação de diferencial competitivo e na atribuição de valor aos seus produtos e serviços.

Exemplo de branding

Vamos pensar sobre a Nike. A empresa fabrica material esportivo, sendo os tênis seu carro-chefe. 

Mas nós não pensamos na Nike como um mero fabricante. Isso porque ela não se posiciona assim. Pensamos nela como uma marca de tênis de alta performance e estilo. E não é por acaso. Pensamos assim porque a Nike quer que pensemos.

Se você observar imagens de anúncios da Nike, na maioria das peças não vai encontrar modelos sorridentes. Você vai ver atletas em situação de esforço ou com expressões concentradas. Você vai ver performance. Nos textos, vai encontrar motivação e superação: 

“Just do it” —  “apenas faça”.

 “Encontre sua grandeza”.

A Nike não se posiciona como fabricante de material esportivo. Ela se posiciona como aliada da sua performance. E estas características de superação estão associadas não só aos produtos e anúncios da marca, mas a toda a experiência de compra.

E assim como a Nike, por meio do branding você vai associar uma personalidade, características à sua marca. Estes atributos serão replicados em toda a comunicação do negócio. Identidade visual, tom de voz, ponto de venda, embalagens, treinamento de pessoal, etc.

Neste contexto, é importante ter em mente que o branding não se limita às marcas corporativas. Marcas pessoais também devem empregar estratégias de branding para estabelecer seu posicionamento de mercado. Se você quiser saber mais sobre o assunto, veja este guia de personal branding.

Agora que você já se familiarizou com o conceito de branding, chegou a hora de colocar mãos à obra. Veja 3 estratégias de branding para o seu negócio!

3 estratégias de branding para a sua marca

1- Crie uma identidade para o seu negócio

Uma estratégia de branding da qual marca nenhuma pode escapar é a criação de uma identidade. É ela que vai nortear toda a relação com o cliente. Ou seja, ela vai informar o que ele pode esperar da sua empresa. Além disso, vai estabelecer valor e um tom de voz para a organização.

Para formular a identidade ideal para a sua marca, você pode utilizar os arquétipos. O psiquiatra Carl Gustav Jung os definiu como ideias compartilhadas por todos nós em nível inconsciente, desde os primórdios. 

Não importa se você é um chinês da dinastia Sui ou um brasileiro dos anos 2000. Há um conjunto de noções arraigadas no seu subconsciente, que se repetem ao longo das gerações na humanidade. Estes padrões (arquetípicos) modelam a forma como nos comportamos, nos relacionamos e vemos o mundo.

Quando utilizados no branding, os arquétipos ajudam o público a identificar a proposta de valor e o posicionamento de uma marca. Veja alguns dos principais arquétipos e as marcas que os utilizam:

  • O Herói: Nike;
  • O Fora da Lei: Harley Davidson;
  • O Sábio: Itaú;
  • O Bobo da Corte: Fanta;
  • O Explorador: Land Rover;
  • O Mago: Absolut Vodka;
  • O Cara Comum: Hering;
  • O Criador: Imaginarium;
  • O Amante: Kopenhagen.

2- Indo além da identidade visual: invista em marketing sensorial

Nós experimentamos o mundo por meio dos cinco sentidos. Por isso, a comunicação deve ir muito além da identidade visual. Para estabelecer uma personalidade envolvente e sólida para a sua marca, invista em todos os elementos sensoriais que você puder. Tato, olfato, audição, paladar, visão. Todas estas experiências em conjunto contribuem para a percepção da experiência de consumo.

Por exemplo, as marcas Farm e M. Martan já são conhecidas (e amadas) por seu cheiro próprio. Seus clientes reconhecem o aroma da loja e o associam às experiências com as empresas. 

A cerveja Bohemia fez diferente. Lançou uma campanha impressa cujo anúncio era exibido em uma página de textura aveludada. Assim, replicava a experiência de consumo da bebida. Já a marca Netflix criou sua própria assinatura auditiva com o famoso “tudum”.

3- Gestão da qualidade

Não adianta se posicionar como O Sábio e não oferecer conhecimento e apoio. Não adianta valorizar a performance no branding se o seu produto não propicia a melhora do desempenho. Por isso, a gestão da qualidade é uma estratégia de branding essencial.

Invista em implementar sistemas de gestão da qualidade e no aprimoramento de todas as esferas do seu negócio. Cada ponto de contato com o cliente deve oferecer uma experiência ideal e intencional. 

O desenvolvimento dos produtos, a logística, as embalagens, o ponto de venda, a entrega, etc. Todo elemento deve fornecer uma vivência coerente com o posicionamento da marca e dentro do padrão de qualidade esperado pelo cliente.

Com a aplicação destas estratégias, você vai construir uma imagem sólida e coerente para a sua marca. Assim, vai potencializar a atração dos clientes certos e se diferenciar da concorrência. 

E pode ser que você já tenha um branding bem estabelecido, mas ele não esteja alinhado com os objetivos da empresa e a persona do seu consumidor. Neste caso, se você sentir a necessidade de repagina-lo, deve fazer o rebranding da sua empresa.

Por fim, é importante lembrar de aplicar o branding às suas ações de Marketing Digital. Afinal de contas, a Web se tornou um dos principais canais de relacionamento entre marcas e seus clientes. E não importa se você vai começar do zero ou se vai revisitar o branding do seu negócio: uma dica valiosa é estar atento às tendências do mercado. Por isso, veja aqui 11 trends de Marketing Digital para 2021!

Compartilhe:

Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Serviços de marketing sob demanda

Campanha Google Ads: Rede de Display
R$349,90
Entrega em até 7 dias**
Site Corporativo
R$1.697,00
Entrega em até 12 dias*
prospecção de leads outbound
R$Consulte
Entrega em até 8 dias*

Entrar

Qual plataforma você gostaria de acessar? 

Ainda não tem uma conta?
Clique aqui para criar uma para a sua empresa ou se você é um profissional digital clique aqui.

Registre-se

Criar uma conta é simples. Primeiro: qual dessas opções define melhor seu perfil?

Se você já possui uma conta clique aqui para fazer login de empresa e agência; ou se você é um profissional digital clique aqui.