Como Escrever um Roteiro de Vídeo: Passo a passo + Checklist

Existem muitos propósitos diferentes para a gravação de vídeo. Pode ser para compartilhar suas ideias sobre um evento atual, promover um produto ou serviço, criar brand awareness ou  simplesmente capturar memórias de um momento importante no tempo. Independentemente do propósito, é sempre útil ter um roteiro de vídeo que o ajudará a articular o que você quer dizer antes da gravação.

Este artigo irá ensiná-lo como escrever um roteiro para qualquer ocasião e dar exemplos de cada tipo para que quando chegar a hora de gravar seu próximo projeto de vídeo.

O que é um roteiro de vídeo?

O roteiro do vídeo é uma parte vital do processo de produção. Ele fornece as instruções para toda a equipe, o que garante que eles tenham todas as informações necessárias para fazer um vídeo de alta qualidade.

Basicamente, o roteiro de vídeo é um script com descrição do texto que deve ser lido, além de outras minúcias performáticas ou não em torno da gravação.

Quais os tipos de roteiro de vídeo?

Primeiramente, saiba que existem diversos tipos de roteiro categorizados por definição. Aqui, vamos agrupar os modelos em 3 grandes grupos:

#1 Roteiro colunado

Modelo usado para especificar, através de colunas, as falas, cenas e demais detalhes do audiovisual da cena. Por isso, é comumente feito de duas formas:

Duas colunas

Esse tipo de roteiro divide o texto em uma tabela de duas colunas: Áudio e Vídeo. Ou seja, na coluna de áudio, deve-se inserir o texto que será dito na cena. Enquanto na de vídeo, a descrição visual da cena. Veja um exemplo:

Utilizei um brevíssimo exemplo de um anúncio da marca Pantys de calcinhas absorventes.

Cinco colunas

Assim como no roteiro de duas colunas, na de cinco as informações também são tabeladas em colunas.

No caso das cinco colunas (também chamadas de “Espelho de 5 colunas”), as informações especificadas em cada coluna são: cena, texto falado, indicação de fala, lettering, descrição da cena.

Veja o mesmo exemplo usado no tópico anterior, só que aplicado ao roteiro de cinco colunas:

#2 Roteiro ficcional

Como o próprio nome diz, é um tipo de roteiro focado em conteúdos ficcionais. Por isso, costuma ser descritivo em termos de narrativa, falas e detalhes. Ou seja, detalha as cenas de forma dissertativa.

Pode ser muito bom para vídeos mais longos, como por exemplo um vídeo de vendas que utilize a jornada do herói como argumento de copywriting.

#3 Roteiro técnico

Esse modelo é um mix dos dois anteriores.

Em outras palavras, funciona como o roteiro ficcional, porém é dividido em tabela contendo os elementos do roteiro colunado, contendo número da cena, descrição breve da cena, texto da fala, plano e movimentação.

#4 Roteiro de texto direto

É um modelo semelhante a um texto comum de redação, ou seja, é descritivo. Além disso, o roteiro de texto direto deve ser objetivo e incisivo em descrever tudo o que vai ser dito no vídeo, em forma de texto corrido, dando ênfase em detalhes de produção também de forma descritiva. 

Os “prós” desse modelo é que é mais rápido de fazer, porque é como redigir um texto, além de ser prático para quem vai fazer tudo sozinho. 

O “contra” é que pode ficar confuso e pouco objetivo, mesmo que a intenção seja fazer algo objetivo. Quando se trata de descrever todos os elementos do roteiro de vídeo em um único texto corrido, pode ficar confuso se for um vídeo com mais de 15 ou 30 segundos. 

A seguir estão algumas dicas de como escrever um roteiro de vídeo que realmente engaje e converta, independentemente do tipo de modelo escolhido para guiar a pré produção.

E se eu não tiver como produzir isso na empresa?

Naturalmente você pode ter se questionado se esse trabalho não é muito complexo ou se não exigirá muita mão de obra que você não tem disponível em sua equipe para dedicar a um projeto de vídeo marketing que envolva produção de roteiro para vídeo.

Se for esse o caso, eu sugiro que você terceirize a produção do roteiro e do vídeo em si, ficando somente com a etapa 1 do nosso passo a passo abaixo (a etapa de definição de objetivo dentro do marketing).

Tendo esse objetivo, você terceiriza a produção e envia as informações da forma mais rica possível e garante que tudo isso seja feito enquanto sua equipe se preocupa com outras prioridades, seja desse ou de outros projetos de marketing.

Marketing sob demanda é a solução do futuro.

Como fazer um roteiro de vídeo? Passo a passo.

Antes de qualquer coisa, um breve resumo desse tutorial:

  1. Definição do objetivo do vídeo
  2. Rascunho inicial
  3. Esqueleto do texto
  4. Planejamento de cenas
  5. Redação das falas 
  6. A versão final do Roteiro de Vídeo

Dito isso, um bom começo é ter certeza de que você tem todos os seus objetivos em mente antes de escrever o script. Isso irá direcionar suas ideias em torno do seu maior objetivo. 

#1 Defina o objetivo do vídeo dentro do marketing

Vamos criar um cenário para exemplificar o passo a passo.

Por exemplo, suponhamos que você irá gravar um vídeo demonstração explicando porque confiar no seu produto.

Sendo assim, seu objetivo é criar fazer com que as pessoas saibam porquê confiar na sua solução. Isto é, você deseja conquistar brand awareness + autoridade digital.

Utilize a metodologia do “Como/Onde/Quando/Por que/Para quem”. 

No caso do nosso exemplo:

  1. Como? Vídeo de 59 segundos demonstrando o uso do produto X.
  2. Onde? Anúncio em vídeo no Instagram.
  3. Quando? Março de 2021.
  4. Por que? Conquistar brand awareness + autoridade digital, mostrando, na prática, porque confiar no produto.
  5. Para quem? Persona X da Empresa Y.

Tendo isto em mente, vamos dar continuidade nas etapas.

#2 O Rascunho Inicial

Antes de qualquer coisa, anote em um rascunho em formato de lista:

  • Qual é a(s) equipe(s) envolvida na produção??
  • Quem estará envolvido na edição?
  • Quais os responsáveis por atuar no vídeo/quem serão os personagens se for uma animação?
  • Quem irá dublar, caso seja uma animação?

Depois de definir essas questões, é hora de dar mais vida para o seu rascunho, fazendo dele um “esqueleto”.

#3 O Esqueleto Inicial do Texto

Comece esta etapa rascunhando ideias de cenário, de abordagem argumentativa das falas, enfim, busque com a equipe ideias que girem em torno do objetivo. Então, seguindo o exemplo anterior, aqui eu poderia listar alguns tópicos como:

  • Quais serão as cenas (considere como cena todos os momentos de troca de cenário, roupa e/ou discurso);
  • Depois de listar as cenas, escreva um breve resumo sobre cada cena, não se preocupe muito em ter algo pronto agora;
  • Rascunho de planos e enquadramento;
  • Pronto, agora você tem um esqueleto que inclui: escopo das cenas e listagem de necessidades e equipes envolvidas.

#4 Criando seu planejamento de cenas

Empenhe-se aqui não em idealizar uma sequência ideal de cenas para que o vídeo fique totalmente cinematográfico, apenas foque em garantir uma sequência lógica que faça o usuário caminhar de um lado para o outro.

Ou seja, no caso do nosso objetivo, seria fazer o telespectador sair de “não conheço essa marca” (um lado) para “sei quem são esses caras, porque vi num vídeo” (para o outro).

Ou, ainda, em outro exemplo, no caso do vídeo ser promocional, seu objetivo pode ser uma métrica de vendas do produto divulgado + métricas de vídeo marketing.

Se na etapa anterior você traçou um breve resumo das cenas, agora você deve estender essa descrição para um nível mais rico de detalhamento, pensando mais em estratégia do que na parte tática (isso vem depois). 

Por exemplo, listando tópicos como:

  1. Qual o limite máximo de tempo do vídeo? (Crie uma meta consistente de acordo com seu objetivo e o canal de divulgação);
  2. O que será gravado em cada cena? (Descreva com detalhes a cena, não se preocupe totalmente com as falas, mas sim com a descrição de cada cena e seu objetivo dentro do “todo”);
  3. Qual será o cenário de cada cena? (Descreva as locações com detalhes também, e se for o caso de um vídeo animado, faça da mesma forma);
  4. Quem irá atuar ou dublar em cada cena? (Se você for optar por uma produção mais independente, liste pessoas da empresa dispostas a dublar ou encenar nos vídeos.)
  5. Quais serão os figurinos? (Descreva os figurinos imaginados, ou pelo menos quantos serão e em quais cenas aparecerão);
  6. Quem irá operar a câmera? (Aqui funciona da mesma forma que no item 4.) 
  7. Considerando os cenários, quais os melhores horários e datas para gravar?
  8. Quais limitações temos para essa produção? (É importante identificar limitações e possibilidade dentro do rascunho e do objetivo traçados, para poder encará-los de forma eficiente

#5 Hora de escrever as falas

Perceba que, para evitar qualquer afobamento, deixamos a parte das falas somente depois de ter uma boa base de como tudo deve ser conduzido. Fizemos isso para te mostrar a importância do roteiro de vídeo.

O video marketing é um recurso valioso, mas isso não quer dizer que basta gravar qualquer vídeo e você terá os melhores resultados. É preciso se planejar com cautela e estratégia.

Por isso, agora sim vamos falar sobre as falas e todo o copywriting (discurso de persuasão) do seu vídeo. Veja a seguir nossa lista de dicas:

  • Escreva para a câmera, lembre-se do seu objetivo na hora de esmiuçar as falas;
  • Use a voz ativa para garantir que está conduzindo seu telespectador para uma tomada de ação certeira (mesmo que seja assistir ao vídeo até o final);
  • Lembre-se de transmitir a ideia principal o quanto antes;
  • Tenha em mente que os 3 primeiros segundos são determinantes para saber se o usuário vai ou não assistir até o final;
  • Use linguagem coloquial, ou seja, informal como nas falas do dia a dia (isso não quer dizer que você precisa passar por cima da gramática ou usar gírias, apenas faça com que soe natural).
  • Concentre uma informação central por frase (não queremos telespectadores confusos!)
  • Crie uma lógica de narrativa: introdução, desenvolvimento, clímax, fechamento. 
  • Ao finalizar cada cena, leia em voz alta (sozinha(o) ou não) para buscar entender como tudo vai soar fora do papel;
  • Use truques do jornalismo como a definição de “cabeça” (algo como uma headline mais extensa com argumento de autoridade através de dados de pesquisa e afins);
  • Busque naturalidade!

Uma das dicas mais importantes dentre as listadas acima é a da lógica de narrativa. Isso porque você cria pequenos blocos de informação que são dispostos ao longo do vídeo. 

#6 Roteiro de vídeo: a versão final [checklist]

Pronto! A essa altura você já avançou muito com a produção do roteiro para vídeo da sua marca. Faça uma revisão geral e comece a lapidar detalhes com carinho.

Para finalizar, fizemos um resumo da versão final, em formato de checklist, para que você possa usar em sua estratégia e garantir organização e otimização do tempo investido nos projetos de vídeo.

Além disso, os scripts e roteiros de vídeo em geral seguem um padrão de formatação que auxilia na hora de iniciar a parte tática e também na esquematização da parte estratégica. 

Veja nosso resumão em formato de checklist:

  • Defina o objetivo do seu vídeo através das 5 Perguntas;
  • Verifique os tipos de roteiro e veja qual é mais interessante para você;
  • Crie o rascunho inicial
    • Quais os envolvidos na produção da gravação?
    • Quais pessoas estarão envolvidas na edição?
    • Quem irá atuar no vídeo/quem serão os personagens se for uma animação?
    • Qual pessoa irá dublar, caso seja uma animação?
  • Crie o esqueleto inicial:
    • Ideias de cenário e  abordagem argumentativa das falas;
    • Ideias em torno do objetivo
    • Quantas e quais serão as cenas? (não aprofunde, descreva em 2 linhas. Considere como cena todos os momentos de troca de cenário, roupa e/ou discurso)
    • Rascunho de planos e enquadramento;
    • Limitações e necessidades para produção
    • Plano de ação para eliminar as limitações através de soluções práticas improvisadas.
  • Crie o planejamento de cenas:
    • Qual o limite máximo de tempo do vídeo?
    • Descrição breve de cada cena (o que será gravado em cada uma, tanto em áudio quanto em vídeo)?
    • Qual o cenário/locação de cada cena?
    • Quem irá narrar/dublar ou atuar?
    • Quais os figurinos?
    • Quem irá operar a câmera? (Você pode improvisar um tripé)
  • Escreva as falas: mão na massa:
    • Use a voz ativa nas sentenças;
    • Garanta que o tópico principal seja abordado nos primeiros 3 segundos;
    • Use linguagem mais informal;
    • Concentre uma informação central por frase;
    • Crie uma lógica de narrativa com introdução, desenvolvimento, clímax e fechamento;
    • Soe natural, escreva para a câmera;
    • Leia em voz alta e veja como soa;
  • Faça uma revisão geral

Capriche na revisão e na parte de planejamento estratégico e com certeza a parte tática será muito mais fácil do que você imagina. 


Alguns outros conteúdos que você também pode gostar:

Compartilhe:

Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Entrar

Qual plataforma você gostaria de acessar? 

Ainda não tem uma conta?
Clique aqui para criar uma para a sua empresa ou se você é um profissional digital clique aqui.

Registre-se

Criar uma conta é simples. Primeiro: qual dessas opções define melhor seu perfil?

Se você já possui uma conta clique aqui para fazer login de empresa e agência; ou se você é um profissional digital clique aqui.