SEO: O que é, como fazer e Estratégias 2020

SEO
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

SEO significa Search Engine Optimization ou Otimização dos Motores de Busca. Por sua vez, é uma estratégia de marketing digital que consiste em melhorar fatores que influenciam no posicionamento da página nesses motores de busca.

E são, literalmente, centenas de fatores que influenciam o ranqueamento de uma página.

Se você está aqui, é porque provavelmente está buscando aprender a como colocar as suas páginas ou páginas do seu cliente no topo do Google.

Vamos direto ao ponto: não vai ser fácil. Mas, vai ser muito divertido!

Muitos profissionais digitais que aprendem sobre SEO descobrem um novo mundo cheio de segredos e passam a adorar a jornada de aprendizado.

Portanto, nossa intenção com esse conteúdo é que você aprenda o que é SEO desde o básico até o avançado.

Então, se você está empolgado, fique comigo.

Algumas recomendações:

  • Esse é um conteúdo denso e que vai sempre ser atualizado com coisas novas;
  • Logo, salve esse link nos seus favoritos e cheque de vez em quando;
  • Além disso, assine nossa newsletter em algum campo nessa página para ser avisado quando atualizarmos esse conteúdo;
  • Dica de Ouro: à medida que for aprendendo, compartilhe esse conteúdo com alguém que não sabe nada sobre SEO e tente explicar o que está aprendendo. Isso ajuda na fixação.
  • Não esqueça de deixar seu comentário caso surja alguma dúvida;
  • Deixe seu comentário também se estiver gostando do conteúdo.

 

Vamos lá…

O que é SEO?

SEO é a abreviação de Search Engine Optimization, uma palavra em inglês para Otimização dos Motores de Busca.

Mas, o que é motor de busca, afinal?

Para entender essa e outras perguntas, precisamos aprender sobre como funciona o Google e os outros motores de busca, como o Bing, Yahoo e o chinês Baidu, por exemplo.

Vamos pensar: o que seria da internet se não existissem sites?

E você consegue imaginar uma internet sem o Google, por exemplo?

Só de pensar nisso, dependendo do ano em que você nasceu, parece absurdo.

Mas, saiba que até 1998, o Google se quer existia. E, antes do Google, existiam diversos buscadores na internet.

O que é um motor de busca?

A internet só é útil se existirem os sites com as páginas que conhecemos, com as informações que queremos.

O problema é que antes do Google e outros buscadores existirem, as páginas e sites da internet não estavam organizados. Você precisava saber exatamente o nome dos sites que você gostaria de acessar.

Foi aí que surgiram os motores de busca.

Um motor de busca é um algoritmo que pesquisa todos os sites existentes na internet e os organiza em um diretório.

Então, é como se você coletasse todas as folhas do seu escritório e as organizasse em um arquivo.

Provavelmente, para organizar as pastas nesse arquivo e facilitar o acesso no futuro, você criaria algumas regras, certo?

Você talvez organizasse por ordem alfabética, ou por ordem de importância…

Contudo, o ponto aqui é que é que o Google Bot (sistema de classificação do Google) ou qualquer algoritmo de motor de busca organiza as páginas da internet conforme o seu conjunto de regras, transformado em forma de código de computador.

Os algoritmos do Google, por exemplo, possuem mais de 200 critérios conhecidos que determinam as regras de posicionamento na SERP (Search Engine Rank Page).

Então, se você deseja ficar nas primeiras posições do Google, precisa conhecer quais são esses critérios.

E é aí que a Arte do SEO entra.

Como o Google funciona?

Antes de mais nada, precisamos lembrar que um motor de busca não é exclusividade do Google.

Algoritmos parecidos são encontrados no Yahoo, Bing, Baidu e até nos aplicativos que estamos acostumados a usar, como o Ifood ou Spotify.

Quando buscamos um restaurante no app, estamos usando um motor de busca do Ifood. Entretanto, quando buscamos uma música no Spotify, estamos usando o motor de busca do Spotify.

Nesse conteúdo, vamos focar no Google, pois é o motor de busca mais conhecido do mundo.

Afinal, mais de 9 a cada 10 pesquisas são realizadas no Google.

Portanto, dominar os algoritmos do Google é sem dúvida o que vai trazer maior resultado.

Por que o Google existe?

Além disso, os algoritmos do Google são de longe os mais complexos nesse quesito de ranqueamento de páginas, devido a sua popularidade.

Por fim, para entender como o Google funciona, precisamos compreender a missão da empresa:

 

“A missão do Google é organizar as informações do mundo e torná-las mundialmente acessíveis e úteis.”

 

Compreendendo essa missão, podemos entender a intenção dos mecanismos de pesquisa e decifrar seus “desejos”.

Como o próprio Google afirma, o objetivo da Pesquisa Google é exibir as informações disponíveis mais relevantes e confiáveis.

Por isso, o sistema de classificação do Google foca em organizar as centenas de bilhões de páginas que estão disponíveis hoje na internet.

O conjunto de técnicas utilizadas para dominar esse sistema de classificação e seus algoritmos é o que chamamos de SEO.

Porém, antes de aprofundarmos nas técnicas de SEO e você dominar a internet, vamos conhecer alguns conceitos que serão importantes no nosso aprendizado, combinado?

Conceitos de SEO

Para que possamos desenvolver as habilidades de SEO, precisamos ficar familiarizados com alguns termos importantes, que vamos conhecer agora:

SEM

Search Engine Marketing ou também conhecido como Search Engine Management é tudo o que envolve o Marketing de Buscas.

Todas as táticas e técnicas aplicadas para conquistar maior espaço nos motores de busca estão dentro da estratégia de SEM. Portanto, o SEO está inserido no SEM.

Outra tática dentro do SEM é o Tráfego Pago.

Então, sempre que mencionarmos SEM, vamos estar falando das técnicas que envolvem o marketing de busca.

SERP

SERP significa Search Engine Rank Page. Em tradução literal, seria a Página de Ranqueamento do Motor de Busca.

Ou seja, a página onde se apresentam os resultados da busca é chamada de SERP.

Por isso, quando utilizamos a palavra SERP, significa tudo o que estiver relacionado a página de resultados.

Crawler ou Web Crawler

Crawler é uma palavra em inglês para Buscador.

Ele é um robô programado para navegar e buscar de forma automatizada, conforme os comandos inseridos no código.

O Google usa o seu crawler para buscar e indexar as páginas da internet na SERP.

Por fim, agora que conhecemos alguns dos principais conceitos de SEO, vamos aprender a como otimizar nossas páginas com as técnicas de SEO.

Robots.txt

O Robots.txt é um arquivo de texto que contém informações para os robôs de busca (crawlers). Nele, você pode determinar quais páginas os buscadores podem acessar ou não.

Ele é útil para proteger páginas sigilosas do seu site, como áreas de login ou páginas internas.

Dizendo nesse arquivo que os robôs não devem olhar determinadas páginas, elas não irão aparecer nas buscas.

Link Building

O Link building ou construção de links se refere as táticas criadas para outros sites apontarem para o seu site, através de menções de links.

Construindo uma rede de links apontando para o seu site, você manda um sinal para os crawlers de que você é uma autoridade.

O link building é uma das principais armas do SEO.

Ele não se refere apenas aos links externos, mas também aos links internos em uma estratégia de Topic Cluster, por exemplo.

SEO On-page

SEO on-page se refere ao conjunto de técnicas relacionadas a melhorias de SEO na própria página.

Quando falamos dos critérios de classificação dos algoritmos do Google, muitos deles se referem ao quanto a sua página é confiável para ser apresentada na SERP.

O SEO on-page pode ser dividido em algumas categorias:

  • Conteúdo da página
  • UX (User Experience) na página
  • Semântica do conteúdo do texto
  • SEO Técnico
  • Estratégia de SEO
  • Funcionalidades da SERP
  • Backlinks na página

 

Vamos falar com mais detalhes de cada uma delas.

Como melhorar o Conteúdo no SEO On-page

Alguns fatores de SEO On-page são:

  • Palavra-chave foco;
  • Hierarquia de títulos;
  • Legibilidade da página;
  • Estrutura de links internos e externos;
  • Meta descrição;
  • Largura do título da página;
  • Densidade da palavra-chave no texto;
  • Meta tag de alt text nas imagens;
  • Entre outras.

 

Lembre-se que o objetivo do Google é mostrar conteúdo relevante e confiável para quem está buscando informação. Afinal, ele quer trazer a melhor experiência possível para o usuário.

Por isso, o crawler do Google escaneia a página e avalia esses critérios de qualidade para determinar se essa página é confiável e se o conteúdo é realmente relevante.

O Google não quer mostrar nos resultados uma página com conteúdo disperso e mal estruturado, onde a experiência de leitura é ruim e o texto é confuso.

Por isso, é importante conhecer a fundo cada uma das regras que levam aos algoritmos do Google classificar uma página com conteúdo on-page como uma página de qualidade.

Dicas para melhorar o conteúdo da página

Algumas dicas que você pode aplicar para melhorar o SEO on-page são:

  • Foque em uma única palavra-chave. Por exemplo, “marketing digital”;
  • Ao longo do texto, use a palavra-chave ao menos a cada 200 palavras, ou numa densidade de 0,5-3% do texto;
  • Use sinônimos dessa palavra-chave ao longo do texto. Por exemplo: “marketing na internet”;
  • Utilize essa palavra-chave nos subtítulos, numa proporção entre 30-75% dos subtítulos;
  • Seu texto deve possuir um subtítulo (H4, H3 ou H2) a cada 150-200 palavras;
  • Todas as imagens devem conter uma tag Alt. Afinal, é assim que o crawler lê a imagem;
  • O Alt text deve conter a palavra-chave foco;

 

Como melhorar a Legibilidade da página

Além disso, você deve tornar o seu texto escaneável, de fácil leitura.

Para isso, siga essas dicas:

  • Use palavras de transição em ao menos 1 a cada 5 sentenças;
  • Crie parágrafos de no máximo 3 linhas;
  • Explore o vocabulário. Não comece sentenças com a mesma palavra de forma consecutiva;
  • Crie subtítulos no mínimo a cada 300 palavras de texto;
  • Evite criar sentenças com mais de 20 palavras. Se precisar criar sentenças longas, mantenha dentro de 25% do total do texto;

 

Você pode perceber por esse conteúdo que está lendo, que seguimos todas essas dicas para manter o conteúdo de forma escaneável e com boas técnicas de SEO.

Por exemplo, a grande maioria dos parágrafos são curtos, com uso de listas e com sentenças curtas.

Além disso, usamos muitos subtítulos, para melhorar a escaneabilidade do texto, com a palavra-chave sendo usada diversas vezes ao longo da página.

Talvez, a melhor dica seja essa:

Escreva o conteúdo da página para um humano. Tente se colocar no lugar da pessoa que vai acessar a página e pense em como ela teria uma boa experiência ao acessar o seu site.

 

Entretanto, o SEO on-page vai além da otimização do conteúdo e da legibilidade. Existem outros fatores internos no seu site que influenciam na avaliação pelos algoritmos.

Um outro fator importante é a Experiência do Usuário, chamado de UX (User Experience)

Como melhorar a Experiência do Usuário no SEO on-page

A experiência do usuário se tornou um fator importante nos dias de hoje. Portanto, uma experiência ruim no seu site vai afetar diretamente o seu ranqueamento no Google.

O SEMRush, uma das maiores autoridades em SEO na internet, realizou uma pesquisa com mais de 600 mil palavras-chave em diversos níveis de volume de busca para entender quais eram os principais fatores para determinar uma boa experiência de usuário.

Abaixo, seguem alguns dos principais fatores e como você pode melhorar a sua Experiência de Usuário:

Tempo de permanência na página

O tempo que os visitantes gastam na sua página pode lhe dar uma boa ideia de como os usuários interagem com ela.

Além disso, os mecanismos de pesquisa podem levar esse fator em conta ao decidir como classificar a sua página.

Quanto menos tempo os usuários passarem nela, maior a chance de a sua página ter conteúdo de baixa qualidade, o que pode levar a uma classificação mais baixa.

Portanto, trabalhe para fazer com que os visitantes fiquem mais de 60 segundos no seu site.

Você pode fazer isso criando conteúdo interessante e usando técnicas de copywriting para chamar a atenção de quem entra na página.

Para fazer um conteúdo interessante, você precisa fazer uma pesquisa de palavras-chave para saber por onde começar a produzir conteúdo.

A partir dessas palavras-chave foco, você terá um direcionamento de como criar e vai focar em produzir um conteúdo que resolva o problema do visitante sem dispersar.

Além disso, uma página com muitos pop-ups, por exemplo, pode irritar o usuário e fazê-lo sair.

Então, crie uma experiência com foco no conteúdo que você quer mostrar e não o faça se distrair demais ou irritar.

Diminua a taxa de rejeição

A Taxa de rejeição ou Bounce Rate é o número de visitantes que saem de uma página do seu site sem navegar mais.

Quanto maior a taxa de rejeição, menor a porcentagem de usuários envolvidos com seu conteúdo.

Há vários fatores que podem aumentar sua taxa de rejeição:

  • Layout da página;
  • Navegação;
  • Conteúdo;
  • Qualidade de tráfego;
  • E muitas outras.

 

Por isso, é importante possuir um site amigável, com bom design e um conteúdo bem desenvolvido com as dicas que falamos anteriormente sobre conteúdo.

Tempo de carregamento da página

Segundo o Google, o tempo médio de espera de um usuário para uma página carregar é de 3 segundos!

Sim, as pessoas estão mais impacientes nos dias de hoje.

O tempo de carregamento da sua página é a quantidade de tempo que leva para a sua página ser carregada.

Há duas razões para isso ser tão essencial. Primeiro, os mecanismos de pesquisa usam o tempo de carregamento como indicador para a classificação.

Quanto mais rápido sua página é carregada, melhor é a classificação que ela pode receber.

Segundo, páginas com carregamento rápido influenciam positivamente a experiência do usuário e podem aumentar as suas taxas de conversão.

Então, trabalhe para que sua página carregue entre 2 ou 3 segundos.

Você pode testar a velocidade do seu site no Google Test My Site.

Como resolver os Problemas Técnicos de SEO

Os problemas técnicos de SEO podem afetar seu posicionamento na SERP.

Ao construir um site, você sempre vai precisar equilibrar o design, usabilidade e a velocidade do site.

Nessa construção, algumas coisas podem ficar defasadas em termos técnicos, como duplicação de códigos ou excesso deles.

Abaixo listamos algumas medidas para corrigir problemas técnicos de SEO:

Uso de palavras-chave foco (tag <title>) repetidas

Cada página do seu site deve ter um título. Por sua vez, esse título tem formatação H1 e é representado no código da página com a tag <title>.

Por exemplo, esse texto que você está lendo tem a seguinte tag <title>:

tag title de SEO

 

É assim que ele aparece no código-fonte. Perceba que é o mesmo título que você lê na interface amigável do site.

Outro ponto, é perceber que a palavra-chave do título está inclusa nesse título: “SEO“.

Então, precisamos garantir que essa página que você está lendo seja a única que tenha como palavra-chave foco o termo “SEO”.

Veja que podemos ter outras páginas que incluam o termo “SEO”, mas não ele sozinho como nesta. Ou seja, eu posso ter página com termos “SEO para Empresas”, “Dicas de SEO” e assim por diante.

O que se deve evitar é a chamada canibalização da palavra-chave.

O título repetido em excesso pode confundir os mecanismos de pesquisa quanto a qual página deve ser indexada e qual deve ter prioridade nos resultados de pesquisa.

O uso de título repetido em várias páginas pode ocasionar perda de tráfego e posicionamento ruim nos resultados de pesquisa, podendo até fazer com que os mecanismos de pesquisa excluam a sua página.

Uso da tag <title>

A tag <title> inclui um resumo do conteúdo de uma página e pode ser usada pelos mecanismos de pesquisa para fornecer resultados de pesquisa com trechos.

Não ter essa tag significa perder a oportunidade de usar palavras-chave mais relevantes para uma determinada página e uma maior taxa de cliques.

Perceba que essa tag não é a palavras-chave foco. A palavra-chave foco está contida na tag <title>.

Por isso, o título dessa página não é apenas “SEO” e sim SEO: O que é, como fazer e Estratégias para usar“.

Explore e seja criativo ao criar os títulos das suas páginas.

Rastreabilidade da página: parâmetro “index”

A rastreabilidade é um dos fatores mais críticos na otimização para mecanismos de pesquisa.

Não importa o quão boa sua página seja – ela nunca vai aparecer nos resultados de pesquisa se não puder ser acessada pelos mecanismos de pesquisa.

Por isso, é muito importante garantir que as páginas com conteúdo útil não estejam bloqueadas para rastreamento.

Como isso acontece?

Perceba no trecho do código abaixo a tag meta com o conteúdo “index“:

tag index

 

Esse é o termo utilizado para os robôs de busca rastrearem sua página ou não.

Basicamente, dizemos para o Robots.txt quais as páginas os crawlers devem olhar ou ignorar, usando os parâmetros “index” ou “noindex“.

Por padrão, todas as páginas possuem parâmetro “index”. Use o parâmetro “noindex” apenas nas páginas que você não deseja que apareçam no Google.

Além disso, o que determina se os robôs de busca vão ou não olhar a sua página é o parâmetro “follow”. Portanto, garanta que todas as páginas que você deseja que apareçam no Google possuam essa configuração.

Elimine conteúdos duplicados

Se você possuir conteúdo repetido na sua página ou no seu site, poderá confundir os mecanismos de busca.

Isso pode afetar seu posicionamento e inclusive eliminar a sua página das buscas.

É muito comum querer preencher conteúdo na sua página ou no seu blog com conteúdo já escrito. Mas, isso não é recomendável.

Logo, evite plágios e crie conteúdo original.

Além disso, evite copiar e colar trechos de outras páginas da internet nas suas páginas, inclusive evite copiar e colar de páginas internas do seu site.

Modifique, crie, reinvente.

Uso da tag <meta description>

A tag meta description é um trecho de código que serve para sinalizar uma breve descrição do seu site.

Veja um exemplo abaixo:

meta description SEO

 

Os motores de busca usam essa tag para entender do que o conteúdo da página se trata. Portanto, use com sabedoria.

Não usar a meta description pode afetar seu ranqueamento ou simplesmente fazer com que seu site seja ignorado pelos buscadores.

Links internos apontando para a página

Os links internos são importantes tanto para os usuários como para os mecanismos de pesquisa, já que os ajudam a navegar no seu site.

Além disso, eles indicam a relevância e a autoridade. A ausência de links internos significa que os mecanismos de pesquisa não conseguirão rastrear as suas páginas e indexar elas  nos resultados.

Isso também vai tornar mais difícil para os usuários explorar diferentes áreas do seu site.

Então, sempre busque apontar as páginas internas umas para as outras. Contudo, você também precisa de uma estratégia para isso, como o uso de Topic Clusters.

Semântica do Conteúdo de Texto

Atualmente, os mecanismos de pesquisa não estão olhando apenas para as palavras-chave foco que você possui no seu texto. Com as atualizações nos algoritmos e a utilização de inteligência artificial e aprendizado de máquina, elas estão cada vez mais próximas da interpretação humana.

Portanto, é cada vez mais crucial que você escreva conteúdo para humanos, como a máxima que mencionamos anteriormente.

Com o crescimento das pesquisas por voz, você precisa garantir que suas páginas ajudem aos mecanismos de pesquisa a entrega seu conteúdo para quem pesquisa.

Por exemplo, uma busca pode muito bem se parecer com: “marketing digital curitiba barato”.

A correspondência exata desse termo de busca tornaria o conteúdo robotizado, dificilmente compreendido por um humano.

Afinal, não é assim que falamos ou escrevemos, mas é assim que buscamos por coisas no Google, certo?

Descubra a intenção por trás da busca

Os algoritmos do Google agora estão mais inteligentes para interpretar a intenção por trás daquela busca, seja por digitação ou por voz.

Então, se eu disser: “Hey Google, pizza rio de janeiro”

O que o Google bot vai fazer será não apenas listar as páginas que possuem o título “Pizza Rio de Janeiro” mas, de acordo com a minha pesquisa ele pode entender que eu quero pedir uma pizza no Rio de Janeiro.

Além disso, ele pode geolocalizar a pizzaria mais próxima, ou ainda, dependendo do meu comportamento de uso, definir que eu quero a pizza mais econômica ou com frete grátis.

Portanto, você deve garantir que suas páginas contenham palavras e termos que estejam dentro do contexto da palavra-chave foco principal, e não apenas a palavra-chave em si.

Enriquecer o conteúdo da sua página com termos relacionados à sua palavra-chave alvo pode ajudar a aumentar a relevância da sua página para os mecanismos de pesquisa e afetar positivamente a sua classificação.

Estratégia de SEO On-page

Como dizia Gary Kasparov:

“Estratégia é saber o que fazer quando não há nada para fazer”. 

 

Ele disso isso com a intenção de que a estratégia deve ser pensada no longo prazo, a fim de otimizar o esforço e aumentar a efetividade das suas ações.

Definir a estratégia de SEO on-page pode ser crucial no seu caminho para conquistar espaço nos termos de busca do seu mercado.

Então, é fundamental conhecer quais páginas do seu site já estão bem classificadas, por exemplo. Porque assim você poupará esforços de criar uma nova página do zero para tentar levar ela ao topo.

Além disso, você precisa de uma planejamento e acompanhamento de palavras-chave. Afinal, são com elas que você vai produzir conteúdo e ganhar visibilidade na internet.

É muito melhor dedicar suas energias em otimizar a página que está bem colocada.

Canibalização de palavras-chave

Esse é um dos maiores problemas com criadores de conteúdo hoje em dia.

Se muitas páginas do seu site estão apontando para a mesma palavra-chave foco, os mecanismos de pesquisa serão forçados a fazer uma escolha. E essa escolha pode ser para a página que você não quer.

Por isso, se você já sofre com isso, o melhor a ser feito é realizar um redirecionamento 301 para a página desejada.

Além disso, técnicas como utilizar URL canônica podem reduzir esses efeitos.

Funcionalidades da SERP no SEO On-page

O Google deseja que o usuário tenha a melhor experiência possível ao realizar uma busca.

Por isso, ao longo do tempo, o Google vem adicionando diversas funcionalidades para otimizar os resultados nas buscas e, principalmente, destacando aqueles que implementam essas funcionalidades nos seus sites.

Essas funcionalidades são chamadas de Rich Snippets, que significam “fragmentos ricos”. Elas são criadas pelos chamados Dados Estruturados do Google.

Para implementá-las você pode encontrar no site do Google para Desenvolvedores ou pedir ajuda profissional para implementar.

Alguns exemplos de rich snippets são:

Fragmento em Destaque ou Featured Snippet

Essa é a famosa posição zero do Google. É um resultado de destaque que aparece antes da primeira posição do Google.

O interessante dessa funcionalidade é que você não precisa nem estar nas primeiras posições orgânicas para aparecer na posição zero.

Veja essa pesquisa sobre “como fazer imposto de renda”:

rich snippet

 

O resultado que aparece em destaque não aparece nas primeiras posições orgânicas. Portanto, essa é a grande vantagem em usar os dados estruturados de rich snippet.

Snippet de avaliação

É um trecho de uma avaliação ou classificação de um conteúdo. Muito utilizado em páginas de produto, livros, receita, filmes a aplicativos.

snippet de avaliação

Fragmento de vídeo

São informações de vídeo na pesquisa. Eles podem conter opções adicionais como reproduzir o vídeo e especificar segmentos de vídeos mais longos.

cmo fazer cadeira fragmento de video

Instruções estruturadas

Elas são informações passo-a-passo para concluir uma tarefa. Dividas em imagem ou vídeo e carrossel.

Snippet de Carrossel

Com o dado estruturado de carrossel, a pesquisa mostra uma lista aprimorada de conteúdos que podem ser de um mesmo site, chamados de carrossel de host ou em uma galeria com vários sites.

Funciona muito bem se seu site for de receitas, blog, filmes, livros ou cursos.

como fazer bolo carrossel

Snippet Pronunciável

Esse dado estruturado permite que seu os mecanismos de pesquisa identifiquem conteúdos no seu site para ler em voz alta com o Google Assistente. Ele converte o texto em voz.

google assistente

 

Backlinks

Os backlinks ainda são considerados um dos fatores mais importantes de classificação. Eles são links do seu site apontados nas páginas de outros sites.

Ou seja, é quando alguém marca seu site como uma referência para alguma termo.

Os backlinks também são chamados de inbound links ou links de entrada.

Para melhorar a sua posição nos resultados de pesquisa, analise a possibilidade de ganhar backlinks de outros domínios.

Quando mais backlinks de qualidade uma página tem, maiores as chances de os mecanismos de pesquisa a colocarem em classificação mais elevada.

O fluxo de links de outros sites também é chamado de Link Juice.

Uma boa estratégia é obter backlinks de domínios de concorrentes com classificação melhor que a sua página no Google top 10.

Vamos falar mais sobre backlinks e estratégias de construção de links, autoridade de domínio e página no SEO off-page.

SEO off page

SEO Off-page se refere a toda estratégia de SEO dedicada a melhorar os fatores de ranqueamento externos ao seu site.

Basicamente, se trata de melhorar a reputação do seu site aumentando as pontuações de autoridade que você possui, através da construções de links para seu site.

Como o desejo do Google é mostrar os resultados mais confiáveis para os usuários, alguns dos fatores de ranqueamento estão relacionados ao quanto outras páginas da internet consideram o seu conteúdo valioso.

Existem algumas formas de determinar se seu site possui autoridade ou não.

O PageRank do Google

Larry Page, co-fundador do Google, criou uma ferramenta que mensurava a autoridade de uma página numa escala de 0 a 10. Basicamente, ela media a quantidade e a qualidade dos links que apontavam para seu site.

Quanto mais links e a maior a popularidade dos sites que marcavam seu site como referência, melhor.

Essa ferramenta ajudava muitos profissionais de SEO a entender como melhorar suas pontuações de autoridade.

Contudo, em 2016, o Google decidiu não mais exibir o PageRank para o público. Mas, ele ainda existe.

Então, hoje temos algumas ferramentas que trazem métricas parecidas para determinar a Autoridade de Página e de Domínio de um site.

Moz Page Authority e Domain Authority

Essas são métricas criadas pela Moz, em uma escala de 0 a 100 para o PA (Page Authority) e para o DA (Domain Authority).

A Moz utiliza metodologias próprias para calcular essas métricas. Porém, é considerada uma das que mais se aproximam do PageRank do Google e uma das mais utilizadas por profissionais de SEO.

Você pode calcular o seu PA e DA gratuitamente com o MozBar.

Domain Score, Trust Score e Toxic Score da SEMRush

A SEMRush também possui metodologias próprias para calcular métricas de SEO off-page para avaliar um site.

Domain Score (Pontuação do domínio)

Esta métrica avalia a importância de um domínio utilizando uma escala de 100 pontos (de 0 a 100) e baseia-se na qualidade e no volume dos links apontando para esse domínio.

Quanto maior for a pontuação, mais alta será a qualidade do domínio. O Domain Score é calculado da mesma forma que o PageRank do Google.

Trust Score (Pontuação de confiança)

Esta métrica mede a confiabilidade de um determinado domínio usando uma escala de 100 pontos (em que “0” indica um site pouco confiável e “100” indica um site altamente confiável) e baseia-se no número de backlinks de sites confiáveis apontando para o domínio.

Se o Trust Score de um site for consideravelmente menor que o Domain Score, pode ser um sinal de que o Domain Score foi elevado artificialmente.

Backlinks desses sites podem acionar penalidades do Google.

Toxic Score (Pontuação de toxicidade do domínio)

O Toxic Score de um site se baseia no número de backlinks tóxicos que apontam para o site e também na importância dos indicadores de toxicidade detectados.

Esta métrica avalia o provável risco de um determinado backlink em uma escala de 0 a 100 (0 = bom, 100 = muito tóxico).

Ela se baseia em uma fórmula composta que leva em consideração os indicadores de toxicidade detectados para cada backlink, a importância desses indicadores, a frequência relativa com a qual esses indicadores são encontrados dentro do escopo de todos os backlinks identificados e outros sinais (tanto positivos como negativos).

o SEMRush é uma ferramenta paga, mas que possui algumas requisições gratuitas.

Por fim, como você viu, começamos a entrar em um universo um pouco mais complexo ao falar de SEO off-page.

Essa complexidade se cria à medida que os usuários descobrem maneiras de burlar e colocar seus sites no topo artificialmente.

Quanto mais pessoas tentam “driblar” os algoritmos, mais complexos eles ficam para impedir essas fraudes.

E para entender um pouco o que separa as técnicas de SEO consideradas “jogo limpo” das de “jogo sujo”, precisamos entender sobre técnicas de White Hat e Black Hat.

Técnicas de SEO Black Hat

Antes de mais nada, vimos que o otimizar os resultados de pesquisa exige um bom trabalho combinado de conteúdo, técnica e design.

Mas, como bem sabemos, sempre haverão aqueles que vão tentar manipular os resultados ou pegar atalhos para chegar lá mais rápido.

Esses “espertinhos” sempre existirão e vão continuar existindo. E quando estamos falamos de melhorar os resultados de pesquisa, não é diferente.

Muitos profissionais e programadores tentam constantemente burlar os algoritmos do Google para posicionar seus sites no topo mais rapidamente.

As técnicas envolvidas em buscar resultado de curto prazo e que infringem as diretrizes dos motores de busca são chamadas de Black Hat, que na tradução significa chapéu preto. Essa é uma alusão aos cowboys fora da lei no Velho Oeste que geralmente usavam chapéu na cor preta.

As principais técnicas de SEO Black Hat são:

  • PBN (Private Blog Networking);
  • Cloaking;
  • Doorway Page;
  • Conteúdo oculto;
  • SEO negativo;
  • Conteúdo duplicado;
  • Entre outros.

 

Detalharemos o Black Hat SEO em um conteúdo aprofundado sobre essas técnicas.

O mais importante, é não seguir as técnicas de black hat. Isso porque seu site pode ser punido ou até mesmo banido do Google.

Você não está estudando SEO para ficar sem site, não é mesmo?

Técnicas de SEO White Hat

O White Hat, por outro lado, são as técnicas de SEO que estão em conformidade com as diretrizes dos motores de busca e seguem as orientações deles.

Todas as estratégias e táticas que apresentamos aqui são White Hat.

Basicamente, você precisa cuidar da saúde do seu site para que ele seja veloz e útil, além de produzir conteúdo de qualidade constantemente.

Trabalhar nessa linha dá mais trabalho. Sim, falamos disso logo no início desse conteúdo.

Porém, você vai garantir resultados sólidos e de longo prazo para seu blog.

Agora que sabemos tudo sobre SEO no Google, vamos explorar outros canais interessantes e que você também pode aplicar técnicas semelhantes com as quais aprendeu aqui e que influenciam no ranqueamento do seu site no geral.

Youtube SEO

Segundo o SimilarWeb, o Youtube possui mais de 31 BILHÕES de visitas por mês.

É o segundo maior site e motor de busca no mundo, logo atrás do próprio Google.

Além disso, hoje o Youtube é tido como um “manual da vida” pelas novas gerações. O que torna a relevância de estar bem posicionado no Youtube ainda maior.

Sobretudo, os vídeos do Youtube podem garantir posicionamentos que você não conseguiria com um conteúdo de texto normal no seu site.

Como vimos, alguns resultados priorizam mostrar vídeos. É o caso de buscas de “como fazer”, por exemplo.

Como fazer SEO no Youtube

Para ter bom posicionamento no Youtube, você deve:

  1. Prestar atenção na auto-sugestão do Youtube para ter ideias de palavras-chave para colocar no título do seu vídeo;
  2. Colocar essas palavras-chave no título, nome do arquivo de vídeo, descrição e nas tags do vídeo;
  3. Preste atenção nas 3 primeiras linhas da descrição. Elas funcionam como a meta descrição nos resultados de busca;
  4. Faça uma descrição detalhada. Pense que a descrição do vídeo é um mini-blog. Use listas, semântica e outras técnicas que aprendemos aqui;
  5. Use as hashtags do vídeo para aumentar as chances do vídeo ser encontrado;
  6. As legendas podem ser rastreadas pelos crawlers. Então, use as legendas para otimizar seus resultados.

 

Uma ferramenta que pode ajudar no SEO para Youtube é ao vidIQ. Ele fornece vários insights de como otimizar seus vídeos no Youtube para a pesquisa.

App Store Optimization (ASO)

Hoje, temos mais 2,2 milhões de aplicativos disponíveis na App Store e 2,6 bilhões para Android.

Para se destacar dentre tantos aplicativos, precisamos aplicar técnicas de SEO também para os aplicativos.

O conjunto de técnicas para se posicionar melhor nas lojas de aplicativo é chamado de ASO ou App Store Optimization.

As mesmas regras que aprendemos aqui de palavras-chave, títulos e descrição se aplicam para os aplicativos.

Indo além, você deve pensar na experiência do usuário (UX) com relação ao seu app, utilizando imagens atraentes e garantindo boas avaliações depois de ele baixar o aplicativo.

A avaliação do app é muito importante para os algoritmos dos motores de busca dessas lojas.

Portanto, siga as seguintes dicas para melhorar o posicionamento do app:

  • use um nome atrativo para o aplicativo. De preferência que contenha uma palavra-chave;
  • escolha um ícone adequado e fácil de ser visto;
  • use as palavras-chave na descrição;
  • responda todos os comentários;
  • invista em divulgar seu aplicativo nas redes sociais;
  • crie uma ótima experiência para o usuário para que ele sempre use o app;
  • sempre peça pela avaliação do usuário;

 

Continua…

Não para aqui não! Vamos continuar complementando nosso conteúdo com tudo sobre SEO. Por enquanto, aproveite os nossos outros conteúdos para complementar seu conhecimento.

→ Conheça também nossos serviços de SEO para Empresas.

 


 

Alguns conteúdos sobre SEO que você também pode gostar:

Receba conteúdos, lançamentos e exclusividades da Marfin!

Ou compartilhe com um colega, familiar ou amigo agora mesmo: 

Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Entre

Qual plataforma você gostaria de acessar? 

Ainda não tem uma conta?
Clique aqui para criar uma para a sua empresa ou se você é um profissional digital clique aqui.